Museu de Minerais, Minérios e Rochas Heinz Ebert

Museu de Minerais, Minérios e Rochas Heinz Ebert

Blog

06/09/2017

Equipamentos alternativos na mochila do geólogo

Tags: , , , ,

por Cibele Montibeller

 

Quando eu estava cursando a graduação, semanalmente me reunia com um grupo de amigos para jogarmos RPG, principalmente as campanhas do tipo storyteller. O Mestre, sempre camarada, nos concedia, logo no começo da partida, o chamado “kit do aventureiro feliz”, ou seja, um conjunto de ferramentas que qualquer pessoa esperta carrega consigo para sobreviver sozinho (ou em grupo) às traiçoeiras florestas e campos do nosso mundo alternativo. A mochila do geólogo é mais ou menos isso, um “kit do aventureiro feliz” acrescido de itens básicos de trabalho, como se fôssemos uma espécie ou uma guilda selecionável num jogo de RPG.

Já falei aqui em outro post sobre os equipamentos essenciais que todo geólogo deve levar na mochila. Mas existem outros equipamentos, alguns alternativos e outros como opção para etapas de campo mais exigentes, que alguns geólogos podem carregar. A maioria são opções, mas podem salvar a pátria, principalmente em situações de sobrevivência. São eles:

Lanterna – podem ser úteis para iluminar o caminho tarde da noite, para entrar seguramente em matas muito fechadas, e para explorar cavidades e cavernas. Se a lanterna for do tipo tática, em geral possui longo alcance e uma programação para emitir pulsações de luz em sinal de SOS, podendo ser avistado à distância em caso de perigo, inclusive do ar, além de um modo de repetição que pode ser usado para desorientar e desencorajar pequenos predadores selvagens, como cães e pequenos felinos.

Apito – em caso de os membros do grupo se separarem ou perderem contato visual, um longo silvo em um apito potente pode ajudar os membros do grupo a se reencontrarem, além de avisar a todos que o desaparecido está bem. O som do apito também ajuda grupos de busca humanos ou com cães a encontrar desaparecidos em áreas de difícil acesso.

Canivete suíço – além da função padrão de um canivete de geólogo, um canivete suíço é sempre uma daquelas ferramentas must have: entre chaves de fendas, lixas, abridores de lata e múltiplas lâminas afiadas, o canivete suíço pode ser útil desde palitar os dentes até calibrar a declinação da bússola, além de ser uma ferramenta de corte para diversas situações (inclusive descascar laranja, cortar cana ou preparar uma pequena armadilha de caça).

Garrafa filtradora de água – à venda em lojas de camping e em vários sites na internet, mini filtros de água e garrafas com filtro já acoplado são uma peça interessante caso o campo seja planejado em regiões com água corrente (ou mesmo empoçada) abundante. Embora não seja uma opção muito barata, ela possibilita encher a garrafa com água não tratada, esperar alguns minutos e ter uma água livre de bactérias e outros agentes nocivos, tornando fácil a obtenção de água potável em situações de sobrevivência.

Isqueiro, fluido de isqueiro e fósforos – ter a possibilidade de fazer fogo pode salvar uma vida. Seja para acender uma fogueira para se aquecer ou cozinhar alimentos, a tarefa fica facilitada se houver dispositivos inflamáveis à mão. Embora carregar fluido de isqueiro seja um tanto perigoso, alguns geólogos se aventuram para ter um objeto que traga segurança em caso de situações críticas de sobrevivência.

Pederneiras – Com o mesmo princípio dos isqueiros e afins, pederneiras são objetos que facilitam a obtenção de fogo, mas são mais recomendadas para que já está iniciado nesta arte. Para pessoas comuns é bem difícil.

Rádio Amador – Além da diversão por contatar pessoas ao redor do mundo, passando sua localização e registrando sua ida a lugares de difícil acesso, estações portáteis de rádio amador podem ser instrumentos valiosos em caso de acidentes em regiões de difícil acesso, permitindo chamar ajuda ou mesmo enviar mensagens para equipes de resgate.

Walkie talkie – Geralmente com curto alcance, walkie talkies são úteis na mesma medida que apitos, para que membros de uma mesma equipe possam se comunicar quando se encontram separados, seja por algum imprevisto, seja por opção.

Tablets e Smartphones equipados com geolocalização – embora hoje em dia mesmo o maior aficionado por natureza não deixe de levar seus brinquedos tecnológicos para campo, nem que seja para postar aquela foto ao pôr-do-sol no Instagram, vale reforçar que dispositivos de comunicação como tablets e smartphones podem ser úteis de diversas maneiras, como através de aplicativos que traçam caminhamento e trilhas, exibição de mapas de satélite em tempo real, aplicativos que gerenciam dados coletados em campo, e mesmo mapas interativos com realidade aumentada disponíveis em alguns países. Para segurança, além disso, muitos dispositivos possuem geolocalização que triangula a posição do aparelho e compartilha em uma rede privada na internet, facilitando o trabalho de equipes de busca.

Papel higiênico e Lenços de papel – úteis para muitas coisas, lenços umedecidos e papéis higiênicos podem ser uma opção para estadias prolongadas em regiões com pouca ou nenhuma civilização por perto.

Corda resistente e barbante – item imprescindível do kit do aventureiro feliz, as cordas podem ser úteis caso um membro da equipe tenha que subir (ou descer) por uma parede ou afloramento, além de poder ser utilizada em situações de resgate, para amarrar mantimentos em galhos altos de árvores a fim de ficar longe de animais oportunistas, para marcar o caminho na exploração de uma caverna ainda não mapeada, e o que mais a necessidade exigir. Barbantes, por sua vez, podem ser utilizados em diversas funções práticas, desde amarrar sacos de amostras até fixar galhos para a montagem de alguma estrutura de madeira. Junto com o uso de cordas e barbantes, deve vir associado obrigatoriamente o conhecimento de como utiliza-los corretamente, iniciado pelos diversos tipos de nós e suas aplicações. Senão, a emenda pode sair pior que o soneto.

Kit de primeiros socorros – é recomendável a todos que tenham em suas mochilas durante atividades de campo um pequeno kit de medicamentos úteis em caso de necessidade: remédios para alergias, para dores musculares, para febre, para náuseas, para cólicas e dores de cabeça, e também os remédios de uso contínuo, que sejam habituais de cada membro da equipe. Band-aids, faixas e gazes, esparadrapos, algodão e panos limpos também são importantes para auxiliar nos primeiros socorros em caso de pequenos acidentes. Outros materiais de primeiros socorros, e outros procedimentos, a depender da gravidade das lesões, são desencorajados para pessoas que não possuem treinamento, experiência e conhecimento suficiente para aplica-los, uma vez que uma tentativa malfadada pode levar à piora do quadro do acidentado, ou até mesmo ser determinante entre a vida e a morte.

Drones – já não é mais surpresa para ninguém ver pelos ares pequenos robôs voadores portando câmeras, capturando os melhores ângulos em coberturas de notícias, jogos de futebol, atividades ao ar livre e muitas outras funções. Interessante é saber que alguns profissionais da geologia andam aplicando drones para ter acesso a imagens de alta resolução de regiões de difícil acesso, como topos de morros, escarpas, encostas íngremes, cristas perigosas ou afloramentos não visíveis em meio ao acesso por áreas acidentadas. O futuro está mostrando a sua cara!

Não, não é ficção científica nem filme do Indiana Jones! Todos os equipamentos acima fazem parte da carga de diversos profissionais do ramo das geociências, e são empregados frequentemente em campo. Embora nenhum geólogo planeje ficar à deriva em uma região inóspita, perdido e sem recursos, muitos acham que vale a pena prevenir. Na minha mochila, por exemplo, não faltam kit de primeiros socorros, isqueiro e fósforos, canivete suíço, apito e lanterna tática. Alguns geólogos amigos preferem o uso de cordas, canivetes suíços e walkie talkies, enquanto outros utilizam rádio amador, pederneira e lanternas táticas. Para muitos, drones, smartphones e garrafas filtradoras de água são essenciais. E você? Quais os equipamentos essenciais (ou alternativos) nos quais você mais confia para passar uma temporada segura no campo?


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *